alguns de meus eus

um escritor surreal, que só lê o que ele proprio escreve e nao lê uma letra sequer de qualquer outro, mais um dos meus eus incomodados, agitados e anti-sociais, um quebrador em essencia, um ser instavel e autentico com seu sentimento mentaneo; um musico que escuta pink floyd e syd barrett; um pintor que observa plantas e flores.

um dançarino que usa de seu corpo um instrumento, um meio de expulsar de si seus males internos, como que numa catarse de movimentos irregulares e instituais, ditos 'primitivos' pelos seres que se auto-intitulam superiores e 'humanos', esse bando de tolos que merecem meu aior desprezo, tal como meus professores universitarios. um escultor que talha a madeira simplesmente por talhar, advindo de um desejo sem especificaçoes, que simplesmente flui de suas visceras para a matéria, com a força do interior de sua subjetividade, e com isso cria materialmente visíveis pedaços de seu inconsciente imaterial infactual.


um colecionador de discos que os escuta atentamente e permite que a musica dance em seu crânio, de modo que seu sentimento flua por entre seu corpo inteiro e o som vibre explosivo como uma bomba por todos seus musculos.

e, todos esses meus eus se encontrando em consonancia com uma dança em ritmo tribal-minimalista, jorrando sangue por todos os lados, para que sintam os nervos; se unindo em celulas nervosas que explodem menstruação de sinapses para todos os lados, cospem vômitos e dentro de seus coraçoes; numa uniao completa e simbiotica, numa orgia tântrica, num orgasmo coletivo; adentrando cada qual em sua bruta porém bela natureza interior.