clube da luta

trabalhar, consumir, dormir com insônia, aos poucos percebendo que a vida não passa de uma cópia, de uma cópia, de uma cópia... um médico sugere que visite grupos de apoio para portadores de câncer de testículo.. após procurar grupos de portadores de câncer, se torna um viciado, até se deparar com Marla, e a mentira de Marla reflete sua mentira.

seu apartamento explode inesperadamente, com todas as mobílias arrumadas, os discos em seus lugares, a coleção de louça importada, ... Tyler surge com propostas de terrorismo poético, se inicia o Clube da Luta, encarando a vida como algo a ser experimentado com força, "quanto você conhece de si mesmo se nunca entrou numa briga?".. as vivências vão se entrelaçando, conduzindo um processo esquizofrênico.

trabalhamos para produzir o que não consumimos, consumimos o que não precisamos, guardamos em nossas vidas um estoque de coisas que não utilizamos e nunca estamos satisfeitos.. tudo o que o sistema precisa para funcionar são pessoas para produzir de um lado e pessoas para consumir de outro.. e o que é pior, somos nós os que produzimos e consumimos, servimos de motores para essa condição..

"você não é seu emprego ou o dinheiro que possui", "as coisas que você possui acabam te possuindo", "essa é a sua vida e está acabando a cada minuto"... “a propaganda nos faz correr atrás de coisas e a trabalhar em empregos que odiamos para comprar porcarias de que não precisamos". por que consumimos as besteiras que as propagandas nos vendem? por que nos submetemos a trabalhar em serviços que não gostamos, por tão pouco?

vamos morrer um dia e nossa vida terá sido a mesma se não mudarmos agora.. depois não teremos mais nada de nada.. "você nem quer saber onde moro, o que sinto, como alimento meus filhos ou como vou pagar o médico se ficar doente”, “fomos criados pela televisão para acreditar que um dia seríamos ricos, estrelas de cinema e do rock, mas não seremos, e estamos aos poucos aprendendo isso", Tyler Durden.